Vivemos um momento singular, onde ocorre a transição para uma nova era, que muitos autores denominam de 4.0, no qual a disponibilização da tecnologia em alta escala irá criar uma onda disruptiva, em que processos de trabalho serão fortemente impactados, gerando a necessidade de que profissionais busquem novas habilidades e conhecimentos, para poderem participar deste “novo mundo”, que se desenha.

Neste contexto, venho pensando em como, em um mundo cada vez mais competitivo, um profissional pode se destacar no meio da multidão? Não vejo outra forma, a não ser a atualização profissional, não somente em sua área de formação, mas naquilo que tenha importância para esta nova sociedade em formação.

É fundamental que os profissionais entendam que a busca por novos conhecimentos e o perfeito entendimento do novo ecossistema profissional, onde a digitalização de processos dar-se-á em alta velocidade, descortinando um mundo no qual a inovação deverá estar no centro das estratégias de negócio e com ambientes empresariais abertos, será a mola mestre do desenvolvimento de carreiras, no futuro.

Alguns temas serão, particularmente, importantes na formação profissional, por integrarem o arcabouço da sociedade 4.0 e terão forte influência nos modelos de negócio e relacionamentos empresariais, dentre os quais:

  1. O pleno entendimento do impacto da tecnologia na transformação dos modelos de negócios

A utilização, em larga escala, de tecnologias como inteligência artificial, internet das coisas, computação em nuvem, dentre outras, farão com que empresas tradicionais mudem seu foco do fornecimento de bens, para o de serviços, por exemplo. Pense em um grande fabricante de locomotivas: a combinação do uso destas tecnologias, poderá fazer com que o foco da organização deixe de ter na fabricação seu core business, para ser a prestação de serviços customizados de manutenção, por exemplo, no qual cada máquina será avaliada individualmente, gerando um plano de manutenção específico, em função das condições operacionais a que está submetida.

 

  1. A importância do desenvolvimento de projetos colaborativos

O trabalho em rede será uma realidade para a grande maioria dos profissionais e empresas, permitindo a obtenção de resultados confiáveis (devidamente testados), em prazos cada vez menores.

A integração de processos na cadeia de suprimentos tornar-se-á fundamental para obtenção de resultados rápidos. Neste sentido, a habilidade de gerenciamento dos fornecedores será um dos diferenciais de profissional de suprimentos.

  1. A construção da cultura do desenvolvimento sustentável

Um negócio sustentável tem como principal característica, o desenvolvimento de uma estratégia que leve em consideração o alinhamento entre os aspectos financeiros, ambientais e sociais, possuindo os seguintes pontos norteadores:

  1. Criação de valor financeiro no longo prazo;
  2. Entendimento e consideração dos impactos ambientais gerados ao longo de todo a cadeia de valor, na definição da estratégia do negócio;
  3. Busca de impactos positivos no âmbito social, através da criação de um relacionamento intenso e do monitoramento da satisfação de colaboradores, clientes e comunidade.

Em um processo sustentável a área de compras que, até muito pouco tempo atrás, tinha seu foco voltado para obtenção das melhores condições de aquisição, com ampla priorização ao preço, passa, por exemplo, por força da legislação, que responsabiliza as empresas pela gestão dos resíduos de seus produtos, a introduzir a eliminação de qualquer tipo de rejeito em um processo produtivo, entre os seus objetivos principais. Dá-se a esta visão o nome de “Economia Circular”.

Um dos desafios para o profissional de compras, em uma economia circular, é aumentar o raio de observação, passando a concentrar-se em todo o ciclo de vida do produto (do berço ao berço), cuidando do produto desde o seu desenvolvimento, de forma a garantir que os resíduos gerados ao longo do processo sejam reaproveitados, a partir de sua reintrodução no processo produtivo original ou de algum outro produto.

A adoção de critérios da economia circular integra o processo de compras sustentáveis, cujos critérios deverão ser dominados pelos profissionais de compras no futuro.

Originalmente publicado em: Revista Inteligência em Compras,  http://cbec.org.br/wp-content/uploads/2018/08/Revista-CBEC-AGOSTO-18.pdf.