Inicialmente, quero contextualizar para os leitores que não me conhecem que não sou um profissional da área de RH. Minha experiência profissional foi desenvolvida em Setores como: Produção, Logística e Suprimentos.

Aprendi, ao longo de minha caminhada profissional, sobre a importância de um currículo bem elaborado e atualizado.

Tive um chefe que sempre dizia que cartão de visitas e cópia atualizada do currículo deviam estar sempre acessíveis, para utilização imediata.

Uma outra pessoa com quem trabalhei por muitos anos, me ensinou a importância de ter um currículo bem elaborado, com informações que atraíssem a atenção dos responsáveis pela análise.

Sempre que tive oportunidade de conversar com algum Headhunter, procurei perceber que pontos eram considerados importantes, por eles, em um processo de análise curricular.

Certa vez, já com uma carreira sólida, nas áreas executiva e acadêmica, submeti meu currículo a análise de um renomado profissional da área de recrutamento de executivos. Na devolutiva ele me aconselhou a passar a utilizar dois CVs, com ênfase distinta nas atividades de cada uma das áreas de atuação, pois da forma como estava apresentado, tornava-se difícil para o analisador, saber qual o meu propósito profissional.

Assim posso dizer, que mesmo não sendo um especialista da área de RH, como citado no primeiro parágrafo, pude desenvolver algum conhecimento na análise de currículo.

Uma experiência nova

Ao optar por trocar a carreira executiva, pela de consultor, acabei por diminuir muito a atividade de análise curricular. Porém, neste ano me envolvi em um projeto voluntario denominado Movimento Estrela-do-Mar,  que busca ajudar quem está fora do mercado de trabalho a aumentar suas chances de recolocação, por meio de materiais de um processo de outplacement (Caminho da Estrela).

Uma das coisas que percebi na realização do trabalho no Movimento, foi que muitos profissionais ao ingressarem no programa apresentavam currículos com muitas deficiências, em termos de clareza das informações e objetividade.

Em algumas oportunidades, a simples leitura do currículo não foi suficiente para traçar o perfil do profissional, devido a falta de clareza na apresentação das informações.

Passei então a dar especial atenção a elaboração do currículo, em todos os processos em que estive envolvido, dedicando bastante tempo ao levantamento das habilidades, realizações, formação e objetivos, de forma que fosse possível entender quem era aquele profissional.

Um exemplo prático

Muitos profissionais não percebem ainda a importância da elaboração de um CV e o quanto pode ser prejudicado pela falta de atenção com este item. Por isto vou relatar um caso que acabou de acontecer.

Durante o desenvolvimento de um projeto de consultoria, foi identificada a necessidade de contratação de um profissional para a posição de coordenador de operações. Apesar de não fazer parte do escopo do projeto, em atenção a uma solicitação do cliente, nas duas últimas semanas participei diretamente do processo de contratação.

Após uma longa triagem nos currículos recebidos (foram mais de cem), fizemos uma primeira onda de entrevistas com oito candidatos. Não conseguimos êxito, pois nenhum dos entrevistados nos passou a certeza do alinhamento com as expectativas da contratante.

Decidimos por uma segunda onda de entrevistas, com mais oito candidatos. Dentre os selecionados estava um profissional, que havia sido recomendado, como outros, por pessoas que muito conhecimento do mercado, mas que, confesso o currículo não havia me empolgado, pois tinha uma lógica construtiva em desacordo com as práticas de mercado e as informações estavam muito confusas.

Para minha surpresa, o candidato teve uma performance excelente na entrevista, deixando-nos certos de que estávamos diante do profissional adequado para a posição que estávamos trabalhando.

Reitero que, pela análise do CV este candidato dificilmente teria sido selecionado para a entrevista, onde teve a oportunidade de demonstrar seu potencial.

Infelizmente, na concorrida busca pelo emprego, principalmente em um momento como este pelo qual passa o Brasil, a chance de um profissional com um currículo mal elaborado conseguir uma entrevista é quase nula.

Como ter um bom CV

A elaboração de currículos não é um tema sobre o qual haja unanimidade, pois são diversas as definições do que seria o CV ideal, variando desde a quantidade de páginas, até ao formato.

O principal ponto é que o CV tenha a capacidade de atrair o avaliador, demonstrando de forma concisa quem é o candidato, fazendo com que o avaliador identifique competências, formação, habilidades, principais resultados obtidos, características pessoais etc.

Um currículo Elaborado adequadamente potencializa os resultados do candidato no processo seletivo

Ter apoio na elaboração é fundamental e aí existem duas vertentes:

  1. Procurar programas e pessoas que fazem isto de forma gratuita, como o Movimento Estrela-do-Mar;
  2. Utilizar serviços pagos, que têm crescido muito nos últimos tempos.

Utilizar um serviço pago ou buscar por um trabalho voluntário, é uma decisão de foro íntimo, e deverá ser muito bem pensada, para que não haja perda de recursos e tempo.

Existem no mercado brasileiro diversas empresas e profissionais que prestam este tipo de serviço, seja integrando um pacote mais completo, como: carta de apresentação, simulação de entrevista, perfil no LinkedIn, dentre outros.

O mais importante é que no processo de contratação seja realizada uma pesquisa sobre o conhecimento do assunto que o ofertante possui, resultados que foram alcançados, tempo de mercado etc.

Elaborar um bom currículo sozinho não é impossível. Você pode fazê-lo, desde que estude quais são as melhores práticas na construção do documento, utilizadas pelos especialistas.

Tenha sempre em mente que o se estiver organizado e com as informações importantes o seu currículo poderá ser a porta de entrada para que você alcance a oportunidade desejada e que em caso contrário ele será o grande vilão da sua trajetória profissional.